Viva Melhor





Grupo anuncia banda larga via satélite para a Amazônia





Notícias

Projeto é da norte-americana O3b Networks e da brasileira Ozônio. A O3b levantou um investimento de US$ 1,2 bilhão de empresas como Google e bancos internacionais.


 


Uma tecnologia inédita deve levar banda larga via satélite com velocidade de fibra óptica aos recantos mais remotos do Amazonas no início de 2013. O projeto é da norte-americana O3b Networks e da brasileira Ozônio. A O3b levantou um investimento de US$ 1,2 bilhão de empresas como Google e bancos internacionais. "Os oito satélites não geoestacionários para o Amazonas estão sendo construídos e devem ficar prontos até o fim do ano que vem", destaca o diretor executivo da 03b, Steve Collar. "Os satélites também podem levar telefonia móvel à Amazônia, embora a prioridade seja a internet".

 

 

A tecnologia usada em diversos países pela O3b tem o diferencial de colocar sua constelação de satélites a cerca de 8 mil quilômetros da terra, enquanto os satélites geoestacionários tradicionais estão em órbita a uma distância de 35 mil quilômetros da superfície. Essa proximidade aumenta a força do sinal, diminuindo o risco de interferência.

Segundo o diretor do Departamento de Banda Larga do Ministério das Comunicações, Artur Coimbra, o licenciamento inicial em andamento para empresas pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) é para a cobertura do Amazonas com o sistema.

 

 

De acordo com Coimbra, a nova tecnologia permitirá acessar a internet com velocidades entre 1 megabit por segundo e 10 gigabits por segundo, e pode no futuro ser estendida a outros Estados. "Nossa intenção é cobrir todo o País no futuro, com mais de 100 satélites", disse Collar.

 

 

A empresa foi fundada em 2007, nos Estados Unidos. O nome O3b significa 'other 3 billion' (outros 3 bilhões), como referência à população mundial sem acesso à banda larga. A O3b Networks é líder no mercado de provedores de serviços de comunicação por satélites de órbita média - ou Medium Earth Orbit (MEO).

 

"Depois dos satélites prontos, a implantação é rápida e fácil. Vai trazer não só internet rápida, mas também mais barata à maioria da população sem acesso à rede mundial na Amazônia", destaca o diretor geral da Ozônio, Yoram Yaeli. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo. 


Galeria de Fotos
 




 




INFORMAÇÕES DE CONTATOS

Você pode nos contatar de qualquer maneira que seja conveniente para você. Estamos disponíveis via telefones, whatsapp ou email. Você pode visitar nosso escritório pessoalmente.


 
 
 
 
 
 

 

Copyright © 2019 Ozonio. Todos os direitos reservados. Desenvolvido por ARTPAGES.COM.BR